quarta-feira, 20 de julho de 2011

Atividades de História do Brasil - Revoltas Coloniais

Questões de Vestibular: História - Brasil - Revoltas Coloniais

Questão 1: (UFMS) Apesar das concessões liberais do Ato Adicional de 12 de agosto de 1834, os problemas sociais, políticos e econômicos que o Brasil herdou do período colonial persistiram. Grande parte deles resultava da continuidade da escravidão, do abandono em que viviam as populações do interior, das profundas desigualdades sociais, da má distribuição das terras e do crescimento da população urbana. A partir de 1835, alimentada pela crise econômico-financeira decorrente de arrecadações insuficientes, da queda das exportações e da elevação do custo de vida, a insatisfação generalizada explodiu na forma de inúmeras revoltas provinciais. Assinale a alternativa em que são apresentadas as revoluções provinciais que se destacaram:
A - Cabanagem, Balaiada e Sabinada.
B - Canudos, Contestado e Farrapos.
C - Cabanagem, Canudos e Contestado.
D - Revolta da Vacina, Revolta da Chibata e Canudos.
E - Sabinada, Balaiada e Revolta da Armada.

Questão 2: (UDESC) Durante os séculos XVII e XVIII, o Brasil foi palco de motins, conspirações, revoltas e rebeliões. A Inconfidência Mineira é uma das expressões mais contundentes desse período. Em relação a esse período, assinale a alternativa correta:
A - O movimento inconfidente contra a metrópole manifestou-se em um momento em que o próprio estado português afrouxava seu poderio econômico e político sobre a colônia.
B - Houve repressão da corte portuguesa como resposta aos protestos contra a instalação das casas de fundição, onde o ouro deveria ser quintado e transformado em barras.
C - Os inconfidentes eram homens sem posses, desesperançados com os rumos do Brasil; por isso se rebelaram.
D - Os inconfidentes inspiraram-se nas idéias absolutistas, defendidas pelos pensadores iluministas.
E - A Inconfidência Mineira não visava ao fim do colonialismo português.

Questão 3: (PUC-RS) Responder, relacionando o nome dos movimentos sociais apresentados na coluna “A” com suas respectivas características, na coluna “B”:
Coluna A
1 – Revolta de Beckman
2 – Guerra dos Emboabas
3 – Guerra dos Mascates
4 – Revolta de Filipe dos Santos
Coluna B
( ) Luta dos comerciantes para elevar Recife à categoria de vila, em oposição aos produtores de açúcar de Olinda.
( ) Movimento em oposição às casas de fundição, que haviam aumentado a exploração da Coroa sobre os mineiros.
( ) Combate ao monopólio e aos altos preços praticados pela Companhia de Comércio do Maranhão, e também aos jesuítas, que queriam impedir os grandes proprietários de escravizar os indígenas.
( ) Luta entre paulistas e forasteiros pelo domínio da região das Minas Gerais, reivindicada por aqueles. Levou à separação da região das minas da Capitania de São Paulo e à criação da Capitania de Minas Gerais.
A numeração correta dos parênteses, de cima para baixo, é:
A - 1 – 3 – 4 – 2
B - 1 – 2 – 4 – 3
C - 2 – 4 – 3 – 1
D - 3 – 4 – 1 – 2
E - 4 – 1 – 3 – 2

Questão 4: (UFRGS) Abaixo, na coluna da esquerda, são citadas seis revoltas ocorridas durante o período colonial brasileiro. Na coluna da direita, são apresentadas as motivações de quatro daquelas revoltas. Associe adequadamente a coluna da direita à da esquerda:
1 – Inconfidência Mineira
2 – Revolta de Beckman
3 – Guerra dos Emboabas
4 – Guerra dos Mascates
5 – Revolta de Filipe dos Santos
6 – Inconfidência Baiana
( ) Insatisfação da comunidade mercantil recifense com o domínio político dos senhores de engenho olindenses.
( ) Proibição da circulação de ouro em pó na região mineira e criação das Casas de Fundição.
( ) Criação da Companhia Geral do Comércio do Maranhão e oposição dos jesuítas à utilização da mão-de-obra indígena pelos colonos.
( ) Insatisfação dos colonos com a tentativa de monopolização das minas auríferas pelos paulistas.
A seqüência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é
A - 4 – 5 – 2 – 3.
B - 1 – 2 – 3 – 6.
C - 5 – 1 – 2 – 4.
D - 3 – 2 – 6 – 5.
E - 4 – 1 – 3 – 6.

Questão 5: (PUC-MG) “Ó vós, Homens cidadãos; ó vós, povos curvados e abandonados pelo Rei, pelos seus despotismos, pelos seus ministros. Ó vós, povo que nascestes para seres livres e para gozardes dos bons efeitos da liberdade... O dia da nossa revolução está para chegar, animai-vos, que sereis felizes para sempre.” PANFLETO: Aviso ao povo Bahiense O fragmento acima se refere ao movimento conhecido como “Conjuração dos Alfaiates”. Com relação a esse movimento ocorrido na Bahia em 1798, é correto afirmar que os revoltosos pretendiam:
A - instalar uma República Provisória na cidade de São Salvador, com apoio da elite burocrática e de alguns membros do alto clero;
B - defender o fim da dominação colonial garantindo, porém, a preservação do regime monárquico e a manutenção da escravidão;
C - estabelecer um governo democrático na Capitania da Bahia de Todos os Santos, com igualdade de direitos, sem distinção de cor ou riqueza;
D - protestar contra a política mercantilista portuguesa, buscando conseguir o apoio do governo norte-americano para por fim ao pacto colonial.

Questão 6: (UPE) Não existiu dominação colonial sem resistência política, que formava a base para autonomia posterior dos povos colonizados. No Brasil, muitas rebeliões marcaram a luta contra Portugal. Uma delas, foi a Revolução de 1817, em Pernambuco, que:
A - contou com a participação da elite, inclusive dos membros do clero da Igreja;
B - recebeu muita solidariedade das províncias vizinhas;
C - teve características semelhantes à Revolta dos Alfaiates na Bahia do século XVIII, libertando os escravos;
D - mostrou, em sua idéias, relações com o liberalismo europeu;
E - fracassou logo no início, embora seja muito exaltada pela historiografia.

Questão 7: (UNIFEI/MG) Acerca da “Conjuração Baiana”, movimento de caráter sedicioso, no século XVIII, é correto afirmar que:
A - o movimento foi liderado pelos segmentos mais pobres e radicais da província, reunidos na Sociedade Cavaleiros da Luz;
B - a Conjuração Baiana foi fundamentalmente pragmática, sem influência teórica, ao contrário da mineira em que predominavam os ideais iluministas;
C - o movimento foi influenciado por pensadores como Voltaire e por movimentos como a rebelião negra do Haiti;
D - a Conjuração propunha a independência da Bahia, ao contrário da mineira que postulava a imediata independência de toda a colônia.

Questão 8: (PUC-PR) A Conjuração Baiana (1798) diferenciou-se da Conjuração Mineira (1789), entre outros aspectos, porque aquela:
A - envolveu a alta burguesia da sociedade do Nordeste;
B - pretendia a revogação da política fiscal do Marquês de Pombal;
C - aglutinou a oficialidade brasileira insatisfeita com seu soldo;
D - teve um caráter popular, com preocupações sobretudo sociais;
E - ficou também conhecida como "revolta dos marinheiros".

Questão 9: (PUC/CAMP) OBSERVE A IMAGEM
No Brasil, a bandeira e o seu lema Liberdade ainda que tardia estão associados a um movimento político que questionava o Pacto Colonial. Eles simbolizavam a:
A - Revolta de Vila Rica de 1720;
B - Inconfidência Mineira de 1789;
C - Conjuração Baiana de 1798;
D - Revolução Pernambucana de 1817;
E - Confederação do Equador de 1824.

Questão 10: Sobre a Inconfidência Mineira ( 1789 ) e Baiana (1798) é correto afirmar que:
I- Claudio Manoel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga participaram da Inconfidência Mineira.
II- Ocorrida em Vila Rica, a Inconfidência Mineira não contou com ampla participação popular.
III- Ao contrário da Inconfidência Mineira, na Inconfidência Baiana, houve forte participação popular, incluse escravos.
A - I, II e III corretas.
B - I, II e III incorretas.
C - Apenas a I está correta.
D - Apenas a II está correta.
E - Apenas a III está correta.

Questão 11: (UFF/RJ) O lema liberal "Liberdade, Igualdade e Fraternidade", consagrado pela Revolução Francesa, influenciou, sobremaneira, as chamadas inconfidências ocorridas em fins do século XVIII no Brasil Colônia.
Assinale a opção que apresenta informações corretas sobre a chamada Conjuração dos Alfaiates:
A - Envolveu a participação de mulatos, negros livres e escravos, refletindo não somente a preocupação com a liberdade, mas também com o fim da dominação colonial.
B - Esta inconfidência baiana caracterizou-se por restringir-se à participação de uma elite de letrados e brancos livres influenciados pelos princípios revolucionários franceses.
C - Em tal conjuração, a difusão das idéias liberais não acarretou crítica às contradições da sociedade escravocrata.
D - Este movimento, também conhecido como Inconfidência Mineira, teve um papel singular no contexto da crise do sistema colonial, revelando suas contradições e sua decadência.
E - Um de seus principais motivos foi a prolongada crise do setor cafeeiro que se arrastou durante a segunda metade do século XVIII.

Questão 12: (UESC/BA) Sobre a Conjuração Mineira e a Conjuração Baiana, movimentos anticoloniais do Brasil, no final do século XVIII, é possível afirmar:
A - Os dois movimentos podem ser classificados como "nativistas", porque não pretendiam libertar as suas regiões do domínio português.
B - O movimento da Conjuração Baiana de 1798 defendia idéias sociais de liberdade e igualdade, atraindo a participação de escravos libertos.
C - A presença de escravos no movimento baiano de 1798 dependeu da participação de seus senhores na conspiração que planejou a conjuração.

Questão 13: (PUC-MG) A expressão Inconfidência Mineira é utilizada para designar, exceto:
A - uma revolta imaginada por uma elite, influenciada pelo ideário liberal iluminista e pela independência dos EUA;
B - um esboço de conspiração idealizada por proprietários de terras e escravos e um grupo de intelectuais, objetivando romper com o jugo metropolitano;
C - uma rebelião colonial ocorrida, em 1789, na capitania de Minas, visando à independência do Brasil;
D - um movimento planejado pela plutocracia local para evitar o pagamento dos tributos em atraso à Metrópole.

Questão 14: (UFPE) A Inconfidência Mineira foi o primeiro movimento político separatista, em que se organizaram setores da elite e setores médios da sociedade colonial brasileira para lutar contra o sistema colonial português e instaurar uma República. Sobre esse movimento, podemos afirmar que:
A - a derrota da Inconfidência Mineira resultou do fato de as autoridades portuguesas terem antecipado a derrama, o que possibilitou, à polícia e aos funcionários da Junta da Fazenda, surpreenderem os insurretos;
B - os inconfidentes, por meio de carta enviada por José Joaquim da Maia ao embaixador dos Estados Unidos em Paris, buscaram apoio dos Estados Unidos. Na carta, o que chama atenção é um pedido de armas;
C - um dos fatores que concorreram para a criação do movimento da Inconfidência foi o fato de a Metrópole aumentar sua pressão fiscal sobre os mineradores, em razão da queda da produção de ouro, a partir da segunda metade do século XVIII;
D - o fracasso dos inconfidentes resultou da delação de Joaquim Silvério dos Reis e da fragilidade política do movimento, pois os conspiradores não foram além de idéias e propostas genéricas, sem penetração e mobilização social;
E - a Inconfidência tinha como plano revolucionário: reunir homens e armas e buscar apoio dentro e fora de Minas para depor o governo, proclamar a República e abolir a escravatura.

Questão 15: (UFMT) A Inconfidência Mineira ou Conjuração de Minas Gerais foi o primeiro movimento na América Portuguesa a manifestar com clareza intenção de ruptura com os laços coloniais. A respeito desse movimento julgue os itens:
A - Entre as razões do movimento, destacou-se a oposição ao enrijecimento da política fiscal metropolitana manifesta, entre outras medidas, na criação de uma quota fixa de ouro que deveria ser preenchida obrigatoriamente.
B - Para conseguir a adesão das camadas populares, o movimento propôs mudanças de caráter social como a igualdade de raça e cor, fim da escravidão e abolição dos privilégios.
C - A origem social da maioria dos inconfidentes indicou que o sistema colonial lesava os interesses das camadas abastadas, mas, para as camadas pobres e para os escravos, a independência não aparecia como solução.
D - A adesão da maioria das capitanias ao movimento fortaleceu o projeto político de manutenção da integridade territorial após a conquista da independência.

Questão 16: (UFC) Ao mesmo tempo que se desenvolvia, em Portugal, uma política de reforma do absolutismo, surgiram conspirações na Colônia. Elas estavam ligadas às novas idéias e a acontecimentos ocorridos na Europa e nos Estados Unidos, mas também à realidade local. A idéia de uma nação brasileira foi se definindo à medida em que setores da sociedade da Colônia passaram a ter interesses distintos da Metrópole ou a identificar nela a fonte de seus problemas. Uma dessas conspirações foi a Inconfidência Mineira. Sobre o grupo que organizou esse movimento é correto dizer:
A - era heterogêneo, de origem social variada, com idéias diferentes sobre as transformações sociais que o movimento deveria provocar;
B - era um pequeno grupo de mineradores, preocupados unicamente em não pagar mais impostos à Metrópole, pois a extração do ouro tinha diminuído, e a Coroa continuava a cobrar o quinto;
C - era um grupo homogêneo de intelectuais, inspirados no Iluminismo e no liberalismo da Revolução Americana;
D - eram todos jovens, filhos da elite colonial, que tinham ido estudar na Europa;
E - teve forte presença de homens pobres, livres, libertos e escravos, e por isso, o fim da escravidão era um de seus principais objetivos.

Questão 17: (UNIFOR/CE) Considere os textos.
I. Prevaleceu o tipo de motivação "mais colonial do que social". A inquietação teve por base a coerção exercida pela metrópole através da cobrança dos impostos sobre a produção aurífera. A revolução foi dirigida pelos proprietários dessa região em plena decadência econômica.
II. Prevaleceu o tipo de motivação "antes social do que colonial". A revolução foi impulsionada pela participação de pequenos artesãos, militares de baixo escalão, escravos e demais setores populares. Neste modelo, a ruptura se dá em três níveis: separação da colônia, mudança das instituições políticas e reorganização da sociedade em novas bases.(Adaptação: Celso Frederico. A idéia de revolução no Brasil colonial. Revista de História. FFLCH/USP, v. 42 (85), jan./mar. 1971. p. 213) No Brasil, as contradições do sistema engendraram movimentos que colocaram em xeque e exploração colonial. Dentre esses movimentos, os textos identificam, respectivamente, a:
A - Inconfidência Mineira e a Confederação do Equador;
B - Revolta de Vila Rica e a Conjuração Carioca;
C - Conjuração Baiana e a Revolta de Vila Rica;
D - Revolta dos Alfaiates e a Revolta de Beckman;
E - Conjuração Mineira e a Conjuração Baiana.

Questão 18: (UEMS) Segundo o historiador Boris Fausto, autor do livro História do Brasil (Edusp/FDE, São Paulo, 1999), a Inconfidência Mineira, ocorrida em 1789, foi um movimento de revolta regional de conspiração contra Portugal e uma tentativa de independência do Brasil, tendo recebido influências de novas idéias e de fatos ocorridos na esfera internacional. Sobre esse assunto, é correto afirmar que:
1 - a Inconfidência Mineira também pode ser caracterizada como um movimento separatista de revolta regional que buscava a criação da República das Minas Gerais, idéia esta que influenciou muitos separatistas do Rio Grande do Sul;
2 - na segunda metade do século XVIII, muitos jovens estudantes brasileiros, nascidos em Minas Gerais, foram estudar na Universidade de Coimbra, onde tiveram conhecimento de novas idéias de libertação e contato com personalidades da época;
4 - nas últimas décadas do século XVIII, a sociedade mineira entrou em fase de declínio econômico, marcada pela queda contínua da produção de ouro e pelas medidas da Coroa no sentido de garantir a arrecadação do quinto;
8 - a Inconfidência Mineira é um exemplo de como acontecimentos históricos de abrangência regional podem ter grande impacto na história e na historiografia do Brasil;
16 - aparentemente, os inconfidentes não tinham a intenção de proclamar uma república, tomando como modelo a Constituição dos Estados Unidos da América, mas de proclamar uma monarquia parlamentarista com um rei brasileiro.
SOMATÓRIA (_____)

Questão 19: (CESGRANRIO/RJ) O bicentenário da Conjuração Baiana (1798) recorda as rebeliões que, no final do século XVIII, tinham em comum refletir a crise do sistema colonial, a qual pode ser retratada pelas opções abaixo, com exceção de uma. Assinale-a:
A - Penetração das idéias iluministas e liberais em parcela da elite colonial.
B - Politização das camadas populares, incluindo a massa escrava, constantemente rebelada, em aliança com a burocracia colonial.
C - Insatisfação crescente com as tradicionais restrições e o fiscalismo do sistema colonial.
D - Influência dos movimentos externos, como a Independência dos Estados Unidos e a Revolução Francesa.
E - Liderança das elites coloniais na quase totalidade dos movimentos de rebelião.

Questão 20: (PUC-RIO) Nas últimas décadas do século XVIII, ocorreram diversas manifestações de descontentamento em relação ao sistema colonial português na América. Essas manifestações geraram movimentos sediciosos, que chamamos de "Conjurações" ou "Inconfidências", todos abortados pela repressão metropolitana. Sobre eles, não é correto afirmar:
A - A Conjuração Mineira, em 1789, foi a primeira a manifestar a intenção de ruptura com os laços coloniais, e reuniu diversos membros da elite mineradora.
B - A Conjuração Baiana, em 1798, também conhecida como Revolta dos Alfaiates, congregou entre as lideranças dos revoltosos, mulatos e negros livres ligados às profissões urbanas, principalmente artesãos e soldados.
C - A Conjuração do Rio de Janeiro, em 1794, foi proveniente da Sociedade Literária do Rio de Janeiro, cujos membros, ao se reunirem para debater temas literários, filosóficos e científicos, defendiam concepções libertárias iluministas.
D - As conjurações foram influenciadas pelas experiências européia e norte-americana, que se difundiram nas regiões coloniais por meio de livros importados, de pasquins elaborados localmente e de discussões nas casas e ruas de Ouro Preto, Salvador ou Rio de Janeiro.
E - A influência externa se fez de modo distinto: enquanto a Conjuração Mineira tomou como exemplo o período do "Terror robespierrista" da Revolução Francesa, a Conjuração Baiana teve como paradigma os ideais expressos na Independência norte-americana.

Questão 21: (PUC-RIO) A Conjuração Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798) possuem em comum o fato de terem sido movimentos que:
I. evidenciaram a crise do Antigo Sistema Colonial.
II. visaram à emancipação política do Brasil.
III. apresentavam forte caráter popular.
IV. expressavam insatisfações em face da política metropolitana, particularmente desde a queda do Marquês de Pombal.
Assinale a alternativa correta:
A - se apenas a afirmativa II estiver correta;
B - se apenas as afirmativas I e IV estiverem corretas;
C - se apenas as afirmativas III e IV estiverem corretas;
D - se apenas as afirmativas I, II e III estiverem corretas;
E - se todas as afirmativas estiverem corretas.

Questão 22: (FGV/RJ) A revolta de Beckman, ocorrida no Maranhão entre 1684 e 1685, a Guerra dos Mascates, ocorrida em Pernambuco entre 1710 e 1711, e a Revolta de Vila Rica, ocorrida em Minas Gerais em 1720, possuem em comum o fato de terem sido movimentos que:
A - tinham como objetivo a emancipação política da colônia;
B - expressavam a reação dos colonizadores em face da violência física e cultural a que eram submetidos;
C - punham em destaque a forte penetração do ideário liberal entre diversos segmentos da sociedade colonial;
D - evidenciavam conflitos de interesses entre colonos e colonizadores;
E - visavam a pôr fim ao exclusivo comercial, instruindo um regime de livre comércio com a Inglaterra.

Questão 23: (UFES) Sobre a Conjuração Baiana, ocorrida em 1798, é correto afirmar que:
A - foi uma revolta liderada pelos senhores de escravos, que contou com pouca mobilização popular, sobretudo das populações de cor;
B - foi uma revolta anticolonial, com maior presença de camadas populares, que, entre outros objetivos, pretendia acabar com a escravidão e fundar uma república democrática;
C - foi um movimento liderado por intelectuais e escravos, comprometido com a luta anticolonial, mas sem planos de revolta;
D - foi um movimento contra as taxações excessivas sobre o fumo e o açúcar, que não assumiu um caráter anticolonialista;
E - foi uma revolta liderada pela elite baiana, que lutava pela permanência do sistema escravista.

Questão 24: (UFU/MG) No decorrer da segunda metade do século XVIII, o avanço da colonização portuguesa no Brasil provocou, como reação, o crescimento da resistência colonial. Este movimento de reação à exploração portuguesa tendia a crescer, dinamizar-se e organizar-se. Assim, estes movimentos coloniais apresentaram um nível mais alto de definição ideológica, não se limitando à simples resistência aos impostos ou taxações, mas sim pelo rompimento das relações políticas de dependência em relação à Metrópole. Pode-se concluir, portanto, acerca das rebeliões coloniais que:
A - tratava-se de manifestações esporádicas emergidas no seio das camadas populares da Colônia;
B - foram movimentos liderados pela burguesia mercantil portuguesa, aqui instalada,
com o objetivo de romper com as pesadas perdas econômicas impostas pelo Pacto Colonial;
C - esses movimentos devem ser encarados como reflexo da reelaboração, na Metrópole, de uma nova visão do estado absolutista;
D - o sentimento de nacionalismo, gerado na Colônia, deve ser entendido num quadro mais geral das próprias mudanças que tendiam a alterar visivelmente a Europa, colocando em xeque o antigo regime, sustentáculo da colonização;
E - esses movimentos de rebeldia contra a Metrópole se manifestaram num momento em que o próprio Estado português afrouxa seu poderio econômico e político sobre a Colônia.

Questão 25: (UEL/PR) As chamadas “Cartas Chilenas”, de Tomás Antônio Gonzaga, são importantes documentos para:
A - explicar a revolta de Manuel Beckmann ocorrida no Maranhão;
B - compreender a crise do sistema colonial no final do século XVIII;
C - interpretar as razões que levaram Filipe dos Santos à revolta de 1720;
D - justificar as causas determinantes da política colonial de Portugal;
E - analisar a política restritiva de Portugal após o movimento da Restauração.

Questão 26: (UPF/RS) A Inconfidência Mineira (1789) é considerada como o início do processo de emancipação política do Brasil, e seu valor é inegável. No entanto, o projeto dos chamados “inconfidentes” apresentava limites, pois:
A - buscava o isolamento, rejeitando apoios externos;
B - ignorava a experiência republicana dos EUA;
C - não questionava a legitimidade do escravismo;
D - não questionava as bases do Pacto Colonial;
E - rejeitava os postulados político-filosóficos do Iluminismo.

Questão 27: (FGV/RJ) A Inconfidência Mineira, no plano das idéias, foi inspirada:
A - nas reivindicações das camadas menos favorecidas da Colônia;
B - no pensamento liberal dos filósofos da Ilustração européia;
C - nos princípios do socialismo utópico de Saint-Simon;
D - nas idéias absolutistas defendidas pelos pensadores absolutistas;
E - nas fórmulas políticas desenvolvidas pelos comerciantes do Rio de Janeiro.

Questão 28: (UFBA) Em 12 de agosto de 1798, manuscritos apareceram afixados nas paredes das casas, igrejas e lugares públicos da capital de uma capitania brasileira.
O panfleto acima refere-se à:
A - Conjuração dos Suassunas;
B - Revolta de Beckman;
C - Revolta de Filipe dos Santos;
D - Confederação do Equador;
E - Conjuração dos Alfaiates.

Questão 29: (UFPE) A Revolta de Filipe dos Santos (1720), em Minas Gerais, resultou entre outros motivos da:
A - intromissão dos jesuítas no ativo comércio dos paulistas na região das Minas;
B - disseminação das idéias oriundas dos filósofos do Iluminismo francês;
C - criação das Casas de Fundição e das Moedas, a fim de controlar a produção aurífera;
D - tentativa de afirmação política dos portugueses sobre a nascente burguesia paulista;
E - tensão criada nas Minas, em virtude do monopólio da Companhia de Comércio do Maranhão.

Questão 30: (UERJ) Revolta ocorrida em território do atual Estado de Minas Gerais, envolvendo paulistas e forasteiros:
A - Guerra dos Mascates;
B - Revolta de Beckman;
C - Guerra Guaranítica;
D - Conjuração Baiana;
E - Conflito dos Emboabas.

Questão 31: Movimento subversivo em São Luís do Maranhão no século XVII contra a mudança da capital para Belém, contra o monopólio da Companhia de Comércio do Maranhão e contra os jesuítas.
Estamos falando da:
A - Guerra dos Emboabas;
B - Guerra dos Mascates;
C - Conjuração de Nosso Pai;
D - Revolta de Beckman;
E - Conjuração dos Alfaiates.

GABARITO: questão 1: A - questão 2: B - questão 3: D - questão 4: A - questão 5: C - questão 6: A, B, D - questão 7: C - questão 8: C - questão 9: B - questão 10: A - questão 11: A - questão 12: B - questão 13: C - questão 14: C, D - questão 15: A, C - questão 16: A - questão 17: E - questão 18: 14 - questão 19: B - questão 20: E - questão 21: B - questão 22: D - questão 23: B - questão 24: D - questão 25: B - questão 26: C - questão 27: B - questão 28: E - questão 29: C - questão 30: E - questão 31: D

Um comentário: